sábado, 13 de novembro de 2010

....Aproveite o tempo

A Flor e o Beija flor

A flor andava triste.
E o beija flor cismado perguntou,
se era o amor, a causa de sua dor.

A flor balbuciou que sim.
Apaixonara-se por um pastor
que toda manhã costumava regá-la,
enquanto no campo trabalhava.

O beija flor então perguntou:
- “onde está o seu pastor ?”
E a flor respondeu: :
-“ está a regar outro amor”.

Obs: esta poesia é antiga. Estou postando uma poesia antiga a cada nova que escrever. Espero que gostem! Beijos a todos os queridos visitantes e seguidores!
.....................................................................................................................................................................


.... Aproveite o tempo

Deus, como passa
rápido o tempo!
Fazendo sumir peremptório,
os fulgores da juventude.

O ano passou.
O tempo correu.
O vento soprou
O sol brilhou.
E a chuva umedeceu!

E o verbo passado.
Pretérito mais que perfeito,
agora é presente!

O tempo sem pena.
Sem pena de nós.
Bagunçou os tempos verbais!

E faz depressa fenecer
nosso frescor juvenil...
nossa despreocupação aleatória...

 nossa brincadeira de criança...


OBS: como era bom o tempo, em que as crianças eram alfabetizadas aos 5, 6 anos de idade. Agora com três anos já se ensina aos pequenos a ler e escrever. Pra quê?! Por que antecipar o tempo? Por que deixar a infância mais curta do que já é?! Depois reclamam que o tempo é que passa rápido.

11 comentários:

  1. O passa passa num ápice. Mas se é verdade que vamos perdendo o fulgor físico, não é menos verdade que vamos ganhando sabedoria, aprendemos a olhar para outros ângulos da vida..

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  2. Ola Ana...Se o tempo passa-se e a criança brinca-se mas não tudo passa depressa e nem se vê criança brincado como antigamente... hoje eles se fecham em seus quartos e só brincam com psp com pc ou play... não têm as mesmas brincadeiras de rua como antigamente...brincadeiras saudáveis criativas.. mas enfim estamos em tempos modernos.
    Abraços Leonel

    ResponderExcluir
  3. Legais essas reflexões, Ana!
    Penso muito sobre essa questão de todos dizermos muito, atualmente, que a vida tem passado rápido e a conclusão a que chego é que, na verdade, a vida passa na mesma "toada", o que ocorre é que temos muito mais informaação a apreender, muito mais coisas a fazer e, como não dá tempo de fazer tudo, fica parecendo que passou rápido.
    E assim ocorre também com as crianças... Por isso concordo com você quando a ser necessário deixá-las curtir bem a infância.
    Beijo, querida!

    ResponderExcluir
  4. A flor andava triste.
    E o beija flor cismado perguntou,
    se era o amor, a causa de sua dor.
    --------------
    nãooooooooooooooo
    aninhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
    sem dor
    só cor

    olha q linda estou no espelhooooooo

    ohhhhhhhhhhhhhhhh

    bjsssssssssssssss
    querida

    maravilha de post45/

    ResponderExcluir
  5. hei de carpir
    meus versos

    esculpir um
    poema de

    tema controverso
    contrariado
    contrapartido

    contra tudo
    que tenho
    que teimo
    que poderia

    ser e ter sido

    tecido de trama
    mal alinhavada
    cedendo ao medo
    de mais uma
    cilada

    à lágrima caída
    sob um chão
    sem
    fundo.

    ResponderExcluir
  6. por tantos caminhos
    e promessas
    me perdi

    levado por um vento
    confuso. não
    aprendi

    muito das árvores
    que plantei
    corri

    riscos, me enganei
    como tantos
    e invento

    das rocas e fusos
    o tecido
    que me
    cobre esconde simula;

    mas, não sei, algo
    me grita que sempre errei
    vencido
    em meio ao rebanho
    sozinho.

    ResponderExcluir
  7. [o que eu poderia dizer sobre teu post?

    tudo o que eu dissesse seria pequeno demais diante da realidade do tempo; é isso.

    gosto muito desse assunto; aliás, toda vez que penso no tempo - sob o ponto de vista filosófico - descortina-se o palco da minha vida, e a lacuna do desconhecimento e da alienação aparece, sabe?! eu me vejo pobre, fraco e totalmente humano.

    interessante é que nós passamos por tantas coisas na vida... quantas jóias perdemos - e ganhamos, quantas lágrimas derramamos - e provocamos nos outros... quer dizer...

    admitir que o pastor precisa regar outros amores é perceber a importância da maturidade, esse antídoto contra a leviandade, que nos faz enxergar o mundo com menos ressentimento... (ainda que milhões ignorem o amor de Deus, eu não posso deixar de citá-lo aqui, porque Ele é o dono do tempo, acredito fielmente. E louvado seja Seu nome).

    porque o tempo passa, sim.
    ah, como sinto a dor desse tempo!

    esse tempo, esse nosso tempo, "verbo passado.
    Pretérito mais que perfeito", que "agora é presente!"

    foi prazeroso ler tua postagem.
    parabéns, sra. Ana Kalil...

    forte abraço, enquanto navegamos nesse oceano de instantes, chamado tempo]

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ana, obrigada pelas visitas e por me seguir... lá no Sedimentos eu posto poesia de tudo que é gente e imagens que eu admiro! Escrevo muito pouco, eu sou mais de sentir...

    Vim conhecer o seu cantinho e adorei! Hum... já cogito a ideia de postar uma das suas por lá. Com seu consentimento, claro, e com o crédito necessário, evidentemente.

    Parabéns!

    Já te sigo e admiro.

    Felicidades.

    Beijos ternos.

    ResponderExcluir
  9. [haha... thanks pelo "querido escritor"... é muita, mas muita, mas muita... muita bondade sua...

    um abraço e...
    (put your e-mail adress link in your profile...)

    um abraço]

    ResponderExcluir
  10. No dia da Consciencia Negra,minha homenagem no post de hoje foi tam prá voce.Vá conferir.
    Beijos,boa semana!!!

    ResponderExcluir
  11. Perfeita a sua colocação sobre o tempo!
    Você abordou uma situação lamentável em nossos dias!
    É a inversão de valores. Crianças transformadas em adultas e adultos bancando adolescentes para serem vistos como jovens.
    Sabe, vejo tudo isso com muita pena!
    Sinto que cada tempo tem a sua beleza, para isso, basta que cultivemos a nossa juventude interior sem que caiamos no ridículo de desprezar os anos vividos.
    Parabéns!

    ResponderExcluir