domingo, 12 de junho de 2011

Colorido





Ê vida danada!
Que dá volta e meia.
E na meia volta,
enrolada esse meu brocardo.


Que doi a vista da gente,
quando avista o redemoinho.                           
Ora de águas claras.
Ora de águas turvas.
Sempre girando.
Água viva que grita!


Nos trilhos do trem.
No piuí do maquinista.
Nos vagões cheios de artista.
Deste  teatro chamado vida.
Lá vou eu, em cima da crista!

Essa vida é mesmo enrolada ( ou será eu??)
igual a novelo de lã.
que se enrosca nas garras do gato.
E vai dando nó.
Em cima do meu telhado.


É vida danada!
Do poeta ao saltibanco.
Da moça que chora o pranto.
Do padre que veste o manto.
Da beata que reza pro santo.
Lá vou eu, sentada num banco!


Vida danada que não se entende.
Num tumultuar de muita gente.
E no meio a criança que chora e geme.
Lá vou eu, com esta gente que sente...!




17 comentários:

  1. Ah... é danada, mas colore os nossos dias...
    Um beijo bem florido.
    Boa semana.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia amiga(se é que posso chamá-la assim)Rs!
    Sua poesia é maravilhosa, transmite o que a vida é, suas dualidades comentadas com bom humor.
    Amei!
    Excelente semana para vc!Fique com Deus!
    BJS!

    ResponderExcluir
  3. Oi poetisa e amiga Ana. Espero que você esteja bem.
    Um beijo grande e fique com Deus!
    Saudades!

    ResponderExcluir
  4. I translated to English...beautiful poem...

    ResponderExcluir
  5. Lindo poema e quão verdadeiro. bjs

    ResponderExcluir
  6. Ê, vida danada,
    que traz para nosso convívio poetisa
    cheia de rima e prosa
    pra lá de encantada.
    Lindo isso tudo, Ana!
    Bjo, querida.

    ResponderExcluir
  7. I wanted to say that I do not know the Portuguese ...and I translated with Google translating...

    ResponderExcluir
  8. Bom dia Ana! Obrigada de coração pelo seu carinho!
    Eu já estava preocupada e com saudades de você!
    Fico sempre ansiando pela sua graciosa e talentosa presença.
    Quanto ao desatino a que se referiu, pode ter certeza de que irá passar, você conseguirá vencer, pois como disse num simples poema que fiz para ti, és uma guerreira.
    O choro sempre vem, mesmo sem as lágrimas, porém quando menos esperamos, encontramos a felicidade novamente.
    Para isso, o nosso coração precisa estar aberto.
    Fico sempre muito feliz quando te encontro,gosto muito de você,mesmo não há conhecendo pessoalmente.
    Conte comigo, sou uma boa ouvinte, caso queira!
    Ficarei muito feliz em poder ajudá-la e vê-la feliz!
    Um grande beijo e uma excelente quinta- feira para vc.

    ResponderExcluir
  9. Ana.
    Que presente passear nesse poema.
    A vida é danada de boa, de bela de tudo que ensina.
    Um beijo poetisa linda.

    Fernanda

    ResponderExcluir
  10. A vida é danada sim! É uma busca permanente...

    Lindo o teu poema!


    Beijos!
    AL

    ResponderExcluir
  11. Ana, estou cheia de sono, porém estou fechando aqui para deixar-te um grande beijo e um excelente fim de semana com muita paz, amor, saúde e felicidade!
    Fique com Deus, sempre!

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde,Ana,poetisa da serenidade e força aliada ao tempo!Talento puro!
    Excelente semana para você!
    Beijo grande!
    Quero ler seus poemas SEMPRE!Poste, amiga!
    Saudades!
    Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  13. Ana, passei para deixar um beijinho linda.
    Fernanda

    ResponderExcluir
  14. Ana, bom dia!Saudades, vc está sumida, espero que esteja tudo bem com você.Excelente fim de semana!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  16. Ana, querida, a sua foto Sumiu dos meus seguidores, o que será que aconteceu?
    Bjs!

    ResponderExcluir